INSPIRAÇÃO

A Arte de Libertar-se da Mágoa

 

 

(Sri Daya Mata, traduzido por Anna Penido)

 

Quem quiser viver neste mundo com algum grau de paz interior, deve aprender a lidar com a mágoa. É tão fácil para o ego ficar ofendido quando as pessoas nos tratam de maneira estranha. Maestria em sentimentos e emoções está no coração da ciência da yoga e autorrealização como a base do treinamento espiritual. Posso falar por experiência própria. Sentimento de mágoa e eu não éramos estranhos um ao outro. Quando entrei no ashram com dezessete anos eu era muito sensível e sofri muito por isso. Yogananda era meu ideal espiritual, eu desejava antes de qualquer coisa agradá-lo, e toda vez que havia uma pequena diferença no seu tom de voz quando falava comigo eu tinha certeza que ele estava com raiva ou descontente comigo.

 

Qualquer palavra mais forte sobre alguma área que eu precisava melhorar me causava uma dor profunda. Eu pensava, talvez ele não goste de mim, e isso provocava em mim o desejo de me isolar. Eu tive muita dificuldade para combater estes estados, e racionalizar não adiantava, “bem que ele podia ter dito algo encorajador vendo que eu estava me sentindo por baixo hoje”.
Muitas vezes, quando Yogananda juntava os devotos e conversava conosco informalmente sobre a vida espiritual, eu sentia que o seu aconselhamento direcionava-se exatamente a alguma batalha que eu estava vivendo. Em uma dessas ocasiões eu gravei o seguinte: “muitas pessoas pensam que deveriam sentir pena de si mesmas quando são criticadas, e que essa sensibilidade traz um alívio. Mas estas pessoas são como o viciado em ópio, cada vez que ele consome a droga mais se afunda no hábito. Seja tão firme como o aço contra a sensibilidade. Uma pessoa muito suscetível frequentemente sofre em vão. Geralmente ninguém tem a menor ideia de que ela tem uma tristeza, muito menos sobre o que é. Então ele se sente ainda mais ferido no isolamento por ele mesmo criado. Nada se alcança fazendo um velório silencioso sobre a percepção de alguma ofensa. É melhor remover, por maestria própria, a causa que produz tal sensibilidade”.

 

Depois de três meses no ashram, finalmente me dei conta de que a autopiedade não estava afetando ninguém a não ser eu mesma, e tomei uma decisão: chega de me sentir magoada. Eu não vou me entregar mais a estes sentimentos. Eles são meus inimigos. Eu não posso esperar que o mundo se modifique para me fazer feliz. Mudar depende de mim. Isso me trouxe uma compreensão maravilhosa. Um incrível sentimento de liberdade chega quando você toma responsabilidade pelos seus próprios sentimentos, sua própria felicidade e paz de espírito. O Mestre costumava nos dizer: Se você quer ficar do meu lado, não espere que eu seja conivente com suas fraquezas e suscetibilidades. Eu não tenho tempo para isso. Eu fico tão agradecida por ele ter insistido nesta nossa maturação espiritual. A consciência divina, a meta do yoga, não se alcança somente praticando a meditação, mas conquistando o domínio do ego sobre sentimentos e emoções.

 

Claro que é bom ser sensível na dose certa. Deus nos deu sentimentos, uma mente, e emoções para que possamos nos relacionar com os outros neste mundo, para que saibamos estar vivos! Sentimentos motivam nossa maneira de reagir ao ambiente. Deus não tem a intenção de impedir nossa interação com o mundo, mas ele espera que aprendamos a controlar esses instrumentos. Podemos nos comunicar através de sentimentos positivos reagindo às pessoas e circunstâncias com amor, bondade, compreensão, compaixão, ou através de sentimentos negativos: ressentimento, ódio, raiva, inveja. Depende de cada um de nós aprendermos o autocontrole que traz felicidade a nós e aos outros.
Sensibilidade se expressa na falta de controle sobre o sistema nervoso, o Mestre continuou. Um pensamento de se sentir ofendido atravessa a mente e os nervos se revoltam contra ele. Ao reagir, algumas pessoas interiorizam o sentimento de raiva ou mágoa e não exteriorizam irritação. Outros expressam suas emoções com uma reação óbvia e instantânea nos músculos dos olhos e da face e muitas vezes com uma língua ferina também.

 

De qualquer modo, sentir-se magoado é fazer da sua vida um inferno, e criar uma vibração negativa que também afeta a outros. Ser capaz de sempre espalhar uma aura de bondade e paz deveria ser a razão da vida. Mesmo se houver uma boa razão para se sentir desequilibrado devido a um maltrato, aquele que controla a si mesmo naquela situação é mestre de si mesmo.Não podemos seguir pela vida com expectativa de todo mundo ser cuidadoso conosco.
Todas as vezes que você se sentir magoado por alguém, deixe que seu pensamento seja: não importa, deixe-me dar amor, deixe-me dar compreensão. A prática constante acarreta em progresso contínuo.
Fique feliz que Deus está lhe dando uma oportunidade de subir além dos sentimentos negativos e te dando a oportunidade de expressar amor e bondade por alguém que não se comportou como devia. Como Jesus disse, dê a outra face. Gradualmente, chegará o tempo em que você terá tanto controle sobre os seus sentimentos que você não cairá na
supersensibilidade de novo.

Comentário de um ouvinte: “uma devota mais velha, recentemente, contou sobre dois jovens que foram pegá-la na estação de trem. A bagagem estava pesada, mas os jovens nem perceberam e deixaram que a velha senhora arrastasse a bagagem até o carro. Ela se sentiu muito magoada pelo descaso deles”.

Essa é uma reação natural, mas existe uma maneira mais construtiva de reagir. Se você estiver nessa situação, você não pode se permitir sentir-se magoado. Você pode calmamente dizer aos outros: será que um de vocês pode me ajudar por favor? Não há nada errado com a comunicação educada! Geralmente o problema é que nossos acompanhantes não sabem quais são as nossas expectativas sobre eles, ou o que nós necessitamos, mas a pessoa suscetível se apressa em considerar tudo ofensa pessoal.
Quando seus sentimentos são feridos, isso significa que você está pensando em você mesmo. Tente não deixar o ego entrar tanto nas coisas. Sempre dê aos outros o benefício da dúvida. Diga a si mesmo: provavelmente eles não entendem. As vezes é simplesmente falta de atenção da parte dos outros que os levam a dizer e fazer coisas que nos magoam, não que tivessem a intenção de serem cruéis.

 

Este esforço da sua parte em entendê-los vai ajudar a eliminar os seus sentimentos de mágoa. Quando nos tornamos menos absorvidos pelos sentimentos do nosso próprio ego, menos egoístas, nossa compreensão dos outros se expande, não somos tão rápidos em fazer julgamentos severos. O modo certo de ser sensível é nos colocarmos no lugar do outro sentindo o que eles sentem. Krishna disse no Gita: “o melhor yogi é aquele que sente pelos outros mesmo sentindo por ele mesmo”. O ideal é você ultrapassar a suscetibilidade sem se tornar insensível aos outros. Negar ser atencioso é uma das falhas mais comuns do relacionamento humano. Por exemplo, se o seu marido ou esposa estiver falando com você sobre alguma dificuldade ou doença, o quanto insensível seria responder dizendo: bem, qual é o seu problema? Esse comportamento quando as pessoas não tentam ter empatia com o outro, causa muita infelicidade e desarmonia.

 

Toda vez que encontramos comportamento desagradável em outros, aproveitemos para lembrarmo-nos de sermos, nós, mais agradáveis. Nunca retaliar com um comentário maldoso, morda a sua língua antes que o faça! Não existe nada mais feio na natureza humana que um veio de maldade, o desejo de criticar ou de dizer alguma coisa maldosa sobre alguém. Você apenas castiga a si mesmo se você tem este hábito, pois é impossível estar perto de Deus quando existe uma maldade no coração.
Não importa o quanto entusiasmado você discurse sobre Deus, você jamais saberá o que Ele é, se permitir que a maldade se mantenha dentro de você. A todo momento, fique alerta na tentativa de superar isto. Ninguém pode transformá-lo num santo, você tem quefazer isto por você mesmo.

 

E você o faz ao reconhecer as bênçãos em confrontar quaisquer problemas ou dificuldades que se apresentem no ambiente em que você foi colocado por Deus e seu karma. Como você progredirá e se tornará mais forte se você não se defrontar com problemas? A divina lei do Karma, que trabalha pelo seu benefício, aproxima almas de personalidade e temperamentos diversos e as coloca em situações que revelam suas fraquezas, de modo que eles tenham a oportunidade de ver e lidar com seus defeitos espirituais e mentais e se curar deles.
A perfeição divina reside dentro de nossas almas, mas você tem que trabalhar para se conscientizar e fazê-la manifestar-se, limpar a lama da ignorância para que o ouro da alma possa brilhar. Existe uma maneira simples de redescobrir o divino em você e outros – o amor.

 

Compreenda o que o amor é. Não é possessividade nem expectativa de resposta dos outros. O amor significa compaixão, significa sempre um esforço de compreender, ser paciente, deixar espaço para outros se expressarem. Se for pedido a você conselhos, então formule sua opinião, senão não se intrometa. Não é bom empurrar suas ideias goela abaixo de ninguém. As pessoas crescem no seu próprio tempo e da sua própria maneira. A atitude de acolhimento sempre impulsiona o que temos de melhor.

Pessoas cujas mentes são fortes e positivas não são afetadas pela negatividade dos
outros. No entanto, tal como uma pessoa amorosa atrai e é movida pelo amor enviado outros, assim também aquele cujos pensamentos estão constantemente revolvendo em críticas ou más intenções fazem a mente ser receptiva aos pensamentos e comportamentos negativos de outros. A pessoa negativa é frequentemente perturbada pela escuridão e animosidade dos outros indivíduos, e sofre ao longo da vida pelas palavras e pensamentos grosseiros. Por isto é essencial se tornar mais positivo – ter mais fé, mais amor, mais entusiasmo.Negatividade geralmente cresce de medos profundamente arraigados. Estes medos vêm de uma sensação de insegurança. E o que produz esta insegurança?

 

Ela se sustenta principalmente da percepção da falta de amor. É o amor que fornece ao coração e à alma a sensação de serenidade, um saudável fundamento psicológico e espiritual que permite se relacionar com qualquer pessoa e qualquer circunstância de uma maneira positiva e construtiva. O amor é a maior fonte de cura deste mundo.
Tendo sido negado a um ser, desde a infância, o amor de uma família e persistindo ao longo da vida esta falta de amor e cuidados, esta falta acabará se expressando em atitudes pervertidas e doentias. As pessoas na sua vida que te magoaram profundamente e que você teme que não te amem, o sofrimento deles pode ser maior do que o sofrimento que te causaram. Quando meditar e sentir a paz de Deus no coração, envie a estes indivíduos o teu amor. Esta é a maneira mais nobre de curar a si mesmo de mágoas, assim como ajudar aqueles que não foram gentis com você.